Quem faz a administração de uma empresa, independente do porte, deve estar sempre atento às melhores práticas de gestão.

Afinal, essa não é uma atividade fácil e exige conhecimento em diversas áreas. E, muitas vezes, o sucesso da empresa está atrelado a uma boa gestão.

Atualmente, o mercado dispõe de diversas ferramentas de gestão que auxiliam no dia a dia das empresas. Uma delas, por exemplo, é o painel Kanban, que auxilia na visualização macro de um projeto.

Ao longo desse artigo, vamos te apresentar outras práticas de gestão que podem ser facilmente aplicadas na rotina de qualquer empresa e que tornam o dia a dia mais organizado.

Por isso, continue a leitura e aprenda sobre esse conceito!

Dicas de boa gestão empresarial

Algumas práticas de gestão estão intimamente associadas ao controle de processos e recursos, organização e bons relacionamentos.

Todos esses fatores costumam ser pontos cruciais para uma boa administração.

Além disso, existem alguns métodos que podem facilitar a vida do gestor ou empreendedor, fazendo com que o negócio funcione com o máximo potencial, ampliando seu público e aumentando o seu lucro.

Pensando nisso, separamos algumas dicas de boa gestão para ajudar ainda mais a implantar em sua empresa de forma simples e eficaz.

1. Escute a sua equipe

Muito mais importante do que delegar tarefas, é escutar o que sua equipe tem a dizer.

Afinal, são eles que costumam lidar diariamente com a maioria das questões práticas, tendo contato mais próximo com os seus clientes finais e necessidades específicas.

Isso permite que eles tenham uma visão integral no seu negócio e você possa ter opiniões válidas que serão úteis para a gestão do seu negócio e novos insights.

2. Crie uma rotina de avaliações

Desenvolver uma rotina para todos os setores é uma das formas mais eficazes de garantir uma boa gestão em todos os setores da vida, não apenas dentro do empreendedorismo.

Revisar periodicamente como são feitas as atividades da sua empresa, por quem são feitas são fatores essenciais para encontrar possíveis falhas e corrigi-las assim que possível.

Por isso, tenha um calendário e defina de quanto em quanto tempo você irá avaliar seus funcionários.

Seja por seus desempenhos, metas alcançadas ou qualquer outra métrica que faça sentido dentro da sua cultura organizacional.

3. Crie um fluxo de trabalho

O fluxo de trabalho nada mais é do que a forma como os processos são realizados em uma empresa, com início, meio e fim.

Ao criar essa etapa, é possível acompanhar o que deve ser feito, ficando mais simples de gerir o seu negócio, ter insights e encontrar gargalos operacionais.

Se você conta com o apoio de um software de gestão, há processos e etapas do fluxo que podem, inclusive, ser automatizados.

Desta forma, seus funcionários ganham tempo para se dedicar às atividades que realmente necessitam de análise e raciocínio individualizado

4. Valorize as conquistas individuais e empresariais

Reconhecer aqueles que ajudam sua empresa, dia a dia, a se tornar um negócio de sucesso, é fundamental para manter um bom capital humano do seu lado.

Por isso, valorizar os funcionários que se destacam, bem como os grandes números da sua empresa é fundamental.

Para todo trabalhador, é fundamental estar em uma empresa que, além de crescer, o valoriza como funcionário. Além de pagar um salário justo para os seus funcionários, considere outras ações, como:

  • Oferecer um plano de carreira;
  • Reconhecer conquistas individuais e em time;
  • Dar feedbacks estruturados;
  • Oferecer benefícios, como vale-alimentação e refeição;
  • Estimular o aprendizado, oferecendo cursos;
  • Construir, dia a dia, uma relação e confiança.

5. Invista em ferramentas de gestão

Agora que você já sabe quais ferramentas interpessoais são importantes, chegou a hora de investir em ferramentas práticas de gestão para otimizar seu tempo e garantir uma gestão mais eficiente para o seu negócio.

Confira!

Matriz SWOT

A matriz SWOT é uma prática de gestão muito utilizada em diversos setores do mercado.

Basicamente, ela ajuda a entender a realidade de empresas e pode ser o pontapé inicial para planejar estratégias.

O nome SWOT vem de 4 palavras em inglês:

  • Strengths, que é força;
  • Weakness, que é fraqueza;
  • Opportunities, que é oportunidades;
  • Threats, que significa ameaças.

Por isso, a matriz também pode ser conhecida como FOFA (força, oportunidade, fraqueza e ameaças), onde cada uma dessas palavras deve responder algumas questões sobre a sua empresa.

Por exemplo:

  • Forças: quais são os diferenciais do seu negócio?
  • Fraquezas: quais são as falhas e lacunas da minha empresa, em relação aos meus concorrentes?
  • Oportunidades: como podemos incluir novos valores e tendências ao meu negócio?
  • Ameaças: o que acontece ao meu redor que pode tirar minhas vendas?

Responder perguntas como essas podem ajudar você a ter uma visualização melhor do que você pode ou não pode fazer em relação ao seu negócio.

Diagrama de Ishikawa

Também conhecido como Diagrama de Espinha de Peixe, essa ferramenta tem o objetivo de ajudar gestores a encontrar as causas reais dos problemas que atingem os processos organizacionais de uma empresa.

Ele busca o que realmente ocasionou uma situação ou resultado indesejado dentro dos processos da organização.

Para isso, você vai precisar de um papel e uma caneta e realizar os seguintes passos:

  • Defina qual será o problema ou resultado indesejado analisado;
  • Desenhe uma seta horizontal que aponte para a direita, e desenhe um quadrado no fim dessa seta;
  • Escreva o problema que você está analisando dentro desse quadrado;
  • Ao longo da seta, desenhe seis traços diagonais. Eles são as categorias das causas encontradas para o problema. Serão máquinas, materiais, mão-de-obra, meio ambiente, método e medidas.
  • Junto com a sua equipe, decidam quais são as possíveis causas. Foque nos detalhes! 

A partir dessas categorias e com as ideias e sugestões de todo o time, fica mais fácil encontrar o problema, que, muito provavelmente, estará em uma dessas categorias.

Painel Kanban

Já falamos aqui sobre a importância de dividir os processos de trabalho em etapas, para ter uma visualização melhor do fluxo de trabalho.

O Kanban, por sua vez, é uma das melhores práticas de gestão, pois a ideia é que ela seja ágil e visual no controle de produção e gestão de tarefas.

E o Painel Kanban serve para que a visualização das etapas de trabalho. Esse painel deve ser dividido entre colunas, que representam etapas do fluxo de trabalho, e raias que separam diferentes tipos de atividade.

Quando uma nova atividade entra no fluxo de trabalho do seu negócio, você cria um cartão Kanban (que pode ser um post-it, por exemplo), que passa a fazer parte de uma das colunas.

O painel Kanban é dividido em três colunas:

  • Pedido;
  • Em progresso;
  • Concluído.

Com isso, é possível criar uma gestão visual do seu negócio, já que você e seu time olham para o quadro e conseguem entender o status de cada uma das suas entregas.

Além disso, isso estimula a autonomia da equipe de trabalho, já que eles também visualizam o andamento das entregas, o que pode, também, aumentar a produtividade.

Esse painel pode ser tanto físico, quanto online. Cabe a você decidir o que é melhor para o seu negócio.

São muitas as práticas de gestão que podem ser aplicadas no seu negócio para melhorar a produtividade do seu time, reduzir custos e, quem sabe, até aumentar o seu lucro.

Agora, resta a você analisar as opções e ver qual delas se encaixa melhor com o que você busca para a sua empresa.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *